whatsapp
1 min read

Entenda por que a taxa de câmbio atual incomoda parte do governo

  1. A ideia de criar uma meta de reservas internacionais a 18 dias da eleição revela que é forte a vontade de mostrar que tudo vai bem na economia e os brasileiros podem voltar a sonhar com as viagens à Disney e com menos impacto da cotação do dólar sobre a inflação. 

  2. Na equipe econômica, há quem diga que o real merece estar 20% acima da atual taxa de conversão frente ao dólar. Robin Brooks, economista-chefe do IIF (Institute of International Finance), fala em 10%. 

  3. O movimento de lançar essa polêmica ideia neste momento tem indisfarçável viés eleitoral e provoca muita especulação.

  4. Uma piada contada em reunião de banqueiros centrais ficou famosa. 

  5. Pergunta-se para que serve o câmbio.

  6.  Qualificados comandantes de políticas monetárias respondem com jargões, mas o autor da pergunta diz que ele serve para deixar os economistas mais humildes.

  7. No Brasil, as reservas internacionais provaram sua eficácia em vários momentos de crise e ataque ao real. 

  8. Quem ouviu a proposta de criar meta de reservas para deixar o câmbio menos volátil questionou por que a ideia não foi lançada em 2019.Além disso, a conjuntura global de inflação e recessão parece não permitir esse luxo. 

  9. A guerra na Ucrânia começou em fevereiro e todos os analistas que arriscaram um palpite passaram vergonha. 

  10. A ideia da meta para reservas internacionais parece voluntarismo que pretende melhorar a percepção dos eleitores, mas que, na prática, vai provocar mais instabilidade.

  11. O Banco Central informa que havia US$ 336,48 bilhões em reservas em 13 de setembro de 2022. São ativos em moeda estrangeira e funcionam como proteção para choques externos como, por exemplo, crises cambiais e interrupções nos fluxos de capital. 

  12. Como o Brasil adota o regime de câmbio flutuante, as reservas reduzem o impacto de movimentos bruscos do real em relação ao dólar, o que dá mais previsibilidade para o mercado.Segurança, liquidez e rentabilidade são os requisitos da política de investimentos definida pelos diretores do Banco Central para a gestão das reservas internacionais.

Comments
* The email will not be published on the website.