whatsapp
27 Mar

A jogada de Putin para enfraquecer as sanções internacionais Moscou quer que países ocidentais paguem por gás russo em rublos, numa tentativa de valorizar moeda do país...


  1. No momento, é "praticamente impossível" substituir o fornecimento de gás russo para a Europa, diz ministro da Energia do Catar

  2. Substituir rapidamente o suprimento de gás da Rússia para a Europa é " praticamente impossível ", disse o ministro da Energia do Catar, Saad Sherida al-Kaabi, em entrevista à CNN na quinta-feira  

  3. .Segundo o ministro do Catar, que também é presidente e CEO da estatal QatarEnergy, abandonar o petróleo e o gás russos e passar para outros fornecedores seria difícil para a Europa, já que " entre 30% e 40% do gás fornecido" para o mercado vem da Rússia .Ele destacou que a atual capacidade de gás do Catar, com quem a União Européia está negociando para aumentar a oferta, não pode atender à demanda dos consumidores europeus, mas poderá fazê-lo no futuro. No entanto, afirmou que a Europa "foi e continua a ser um mercado importante" para o país.

    Além disso, apesar de muitos estados estarem tentando alcançar a independência de petróleo e gás da  Rússia  devido à operação militar na Ucrânia, o ministro que o Catar não vai impor sanções contra o setor de energia russo , afirmando que a energia deve ser deixada à margem da política. Além disso, ele indicou que seu país não está " escolhendo lados " no conflito.Saad Sherida al Kaabi não foi o único funcionário do Catar a falar sobre a relação entre os eventos na Ucrânia e o impacto econômico no mundo .Segundo o ministro das Relações Exteriores do Catar, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, o conflito ucraniano alguns países, obrigando-os a encontrar novas formas de fixar o preço do petróleo, não em dólares. "Tenho certeza de que há muitos outros países que estão descontentes com o que aconteceu e as consequências da crise Ucrânia-Rússia, especialmente as consequências econômicas", disse Al Thani. "Eles vão procurar e explorar um sistema paralelo [de fixação dos preços do petróleo]... que servirá de hedge, pelo menos economicamente", acrescentou. 

  4. Por seu lado, Miguel Jaime, especialista em geopolítica do petróleo, acredita que a indústria energética do Médio Oriente não está adequada nem preparada para abastecer a Europa. 

  5.  Ele estima que os países produtores tenham projetado uma indústria para a extração diária de gás. Para abastecer adequadamente a Europa, eles teriam que projetar novas plantas e meios de distribuição, o que levaria pelo menos 5 anos.

Comments
* The email will not be published on the website.