whatsapp
24 Aug

O Brasil não sairá da sua posição de pobreza enquanto não quebrarmos com as conciliações de classe o Império comada o Brasil e o povo não enxerga Steven Bannon já foi condenado por violação 

O estrategista do ex-presidente dos EUA Donald Trump tem total interesse nas eleições de 2022 e tem o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair Bolsonaro, como seu principal interlocutor no Brasil.

No último dia 12, acompanhado do empresário Mike Lindell, um importante aliado em campanhas de fake news, Bannon recebeu Eduardo Bolsonaro em Dakota do Sul (EUA), durante evento marcado por teorias de desinformação sobre as eleições, lembra reportagem nessa conferência Eduardo Bolsonaro só não passou vergonha com inglês horrível por misericórdia 


Neste evento, após uma fala de Eduardo Bolsonaro cheia de teorias conspiratórias e fake news sobre a urna eletrônica, : “Vocês veem que não é só nos EUA. Esta eleição (de 2022, no Brasil) é a segunda mais importante no mundo e a mais importante da história da América do Sul. Bolsonaro vai vencer, a menos que seja roubado... adivinhe pelo que

Ex-estrategista de Trump é acusado de fraudar campanha de arrecadação de fundos para construção de muro na fronteira com o México. Ele se declarou inocente e foi solto no mesmo dia, após pagar fiança de U$ 5 milhões.

Steve Bannon, o ex-estrategista-chefe do presidente americano, Donald Trump, foi preso nesta quinta-feira (20/08) nos Estados Unidos. Ele é acusado de conspiração para cometer fraude numa campanha de financiamento coletivo para a arrecadação de fundos para apoiar a construção do muro na fronteira com o México, segundo informou o Departamento de Justiça dos EUA.

Além de Bannon, foram detidos também outros três acusados. De acordo com a Promotoria Federal americana, eles teriam "orquestrado um esquema para fraudar centenas de milhares de doadores".

Iniciada em 2018, a campanha chamada "Nós construiremos o muro" arrecadou mais de 25 milhões de dólares (cerca de 141 milhões de reais).

Segundo os promotores, Bannon prometeu usar todo o valor arrecadado na obra, mas o dinheiro foi usado, entre outros fins, para financiar despesas pessoais e o luxuoso estilo de vida de Brian Kolfage, descrito como o rosto público e fundador da campanha.

Os promotores afirmam que o grupo falsificou notas e acordos com fornecedores fictícios para esconder o que realmente estava acontecendo. Os quatros também foram acusados de conspiração para lavar dinheiro.

Horas após ser preso, Bannon se declarou inocente perante um tribunal federal em Manhattan. Na audiência, ele apareceu com as mãos algemadas à frente do corpo e usando uma máscara branca que cobria quase todo seu rosto.

O juiz aprovou sua soltura em troca do pagamento de uma fiança de 5 milhões de dólares (quase 28 milhões de reais), e ele foi então libertado, sob a proibição de deixar o país. Antes, teve de apresentar garantias no valor de 1,75 milhão de dólares em forma de dinheiro ou propriedades.

Bannon, uma figura proeminente da extrema direita americana, foi assessor de campanha de Trump, que fez da construção do muro na fronteira com o México uma de suas principais promessas na corrida eleitoral de 2016.

O americano é considerado um dos maiores ícones da extrema direita e esteve à frente do portal Breitbart News, que ajudou a propagar a nova ultradireita dos Estados Unidos.

Comments
* The email will not be published on the website.