whatsapp
03 Jan

Presidente do BC fará carta para justificar inflação fora da meta

Roberto Campos Neto, assim como os antecessores, terá de explicar os motivos que levaram o BC a falhar no controle da inflação e apresentar soluções para o próximo ano


  1. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, fará uma carta para justificar a inflação fora da meta no fim de 2021 e explicar como pretende resolver o problema. 

  2. O texto será divulgado após os resultados consolidados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro, que trarão os resultados consolidados de 2021.

  3. Trata-se de uma regra que obriga os presidentes do Banco Central a dar explicações.

  4.  A carta será endereçada ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Esta será a 6ª carta do tipo escrita por representantes do Banco Central. A primeira foi em 2001, escrita por Arminio Fraga Neto.Depois, a “tradição” se repetiu em 2002, 2003, 2015 e a última carta, escrita por Ilan Goldfajn, foi divulgada em 2018.

  5.  Na época, o índice que mede a inflação ficou em 2,95%, muito abaixo da meta, que era de 4,5%. 

  6. A tolerância era de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima.PUBLICIDADETodos os que ocuparam a presidência do BC depois da implementação do regime tiveram que fazer a carta.

  7.  Esta será a primeira assinada por Roberto Campos Neto, que teve um ano de 2021 turbulento, após a revelação, através da série de reportagens “Pandora Papers” de que tanto ele quanto o ministro da Economia, Paulo Guedes, possuem empresas em paraísos fiscais no exterior – as chamadas offshores.Sendo a principal autoridade monetária do país, com influência direta na taxa de câmbio, Campos Neto disse que tudo o que possui no exterior está declarado e que não fez nenhuma remessa para empresas desde que chegou ao governo.

  8. O ano de 2021 também foi marcado por uma inflação que cresceu rapidamente e chegou aos dois dígitos em 12 meses, algo que não ocorria desde 1994, quando o Plano Real foi implementado.

  9.  De dezembro de 2020 e novembro de 2022 (12 meses),

  10. Somente em novembro, o índice chegou a 0,95%. Isso representa 27,14% do total da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 3,5%, para todo o ano.

  11.  As alterações na taxa básica de juros são uma das principais ferramentas do BC para tentar conter a inflação.Por isso, diante da alta, o Banco Central mudou sua postura com relação à Selic, que foi diminuída ao menor nível da história: 2%, durante a pandemia, para tentar conter a crise econômica causada pelo novo coronavírus.

    A subida na Selic começou ainda em março de 2021, quando subiu 0,75 pontos percentuais. Depois disso, o Comitê de Política Monetária do Banco Central aumentou a taxa seis vezes, ato que foi criticado por diversos especialistas que apontaram que a inflação atual não é causada por excesso de demanda, mas por uma alta nos custos de produção.


Comments
* The email will not be published on the website.