whatsapp
10 Oct

Malafaia promete denúncia “arrasa quarteirão” sobre dois ministros: “Perderam condição moral”


Em publicação no Twitter, o líder religioso disse que divulgará o nome dos gestores na segunda-feira (11/10) e falou em "arrasa quarteirão"


Malafaia chamou as autoridades de “inescrupulosas” e prometeu que a divulgação será um “verdadeiro arrasa quarteirão”.

“Gravíssimo! Atenção, povo brasileiro. Dois ministros de Bolsonaro perderam a condição moral de continuarem como ministros. Amanhã vou postar um vídeo denunciando esses inescrupulosos. Será um verdadeiro arrasa quarteirão”, escreveu.

Um pastor que você a fé dos humildes para ganhar dinheiro 

O pastor Silas Malafaia declarou neste domingo (10) que está insatisfeito com dois ministros do governo Bolsonaro, do qual é ferrenho apoiador. Segundo ele, ambos "perderam a condição moral" de continuarem nos cargos, mas disse que só vai revelar os nomes amanhã em vídeo nas redes sociais.

Em seu perfil oficial do Twitter, Malafaia disse: “Gravíssimo! Atenção povo brasileiro. Dois ministros de Bolsonaro perderam a condição moral de continuarem como ministros. Amanhã vou postar um vídeo denunciando esses inescrupulosos. Será um verdadeiro arrasa quarteirão! Aguardem”.

A publicação aconteceu logo após o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, reclamar de "falta de consideração" por parte do governo. Ele contesta o corte de R$ 600 milhões sofridos pela sua pasta.

Malafaia deve  mais de $4.6 milhões de imposto e tem mais 

Silas Malafaia triplica dívida com a União durante o governo Bolsonaro


Pastor foi responsável pela cerimônia de casamento do presidente e é um de seus principais conselheiros

  1. o empresário e pastor Silas Malafaia mantém uma dívida de R$ 4,6 milhões em impostos com a União.

    O valor da dívida atual é três vezes maior do que em dezembro de 2018. O aumento do débito coincide com o período em Jair Bolsonaro assumiu a presidência do Brasil, em janeiro de 2019.

    As dívidas estão concentradas em duas empresas de Malafaia, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, com sede no Rio de Janeiro, e a Editora Central Gospel, também localizada em território fluminense.

    A Contribuição Social do Lucro Líquido (CSSL), um dos impostos que Malafaia sonega, é um alvo da bancada evangélica no Congresso Nacional. Os parlamentares defendem que esse tributo, quando, deva ser perdoado pelo governo federal.

    As informações foram adquiridas pelo UOL, por meio da Lei de Acesso à Informação. Em entrevista ao site, Malafaia confirmou o calote na União: “Esses meus débitos têm a ver com tributos mesmo que eu tenho que pagar, pedir para renegociar.”

    Em 2013, Silas Malafaia foi o pastor que conduziu a cerimônia de casamento de Jair Bolsonaro com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Desde então, o pastor  e empresário se aproximou do presidente e participou ativamente de sua campanha nas eleições de 2018.


Comments
* The email will not be published on the website.