whatsapp
26 Sep
26Sep

Bolsonaro volta a colocar em dúvida se aceitará resultado das urnas

  1. O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) voltou a sugerir nesta segunda-feira que pode não aceitar o resultado das urnas, questionou mais uma vez, sem apresentar provas, a integridade do sistema eleitoral e também colocou em dúvida a isenção de ministros da Justiça Eleitoral e de institutos de pesquisa. 

  2. Em entrevista à TV Record, Bolsonaro voltou a questionar os resultados de pesquisas eleitorais, que têm apontado vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com chance, inclusive, de vencer o pleito no primeiro turno, no domingo.

  3. “Olha, eu vou esperar o resultado”, disse Bolsonaro ao ser questionado se aceitará o resultado das eleições caso seja derrotado.

  4. “Nas ruas eu nunca vi, eu tenho falado nos meus pronunciamentos, como falei em Campinas, que um candidato tem 45% das intenções de voto sem poder sair às ruas. Sem poder se dirigir ao público.

  5.  E o que é a democracia? É a vontade popular.

  6.  A gente não está vendo a vontade popular expressa nos institutos de pesquisa –em especial o Datafolha– e muito menos dentro do TSE”, afirmou.

  7. A menos de uma semana do primeiro turno de domingo, nova pesquisa do Ipec mostrou nesta segunda que Lula teve uma oscilação positiva de 1 ponto percentual, passando a 48% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro se manteve estável com 31%, mesmo indicador do último levantamento. 

  8. Considerando apenas os votos válidos, quando são descartados os brancos e nulos, o Ipec apontou a possibilidade de Lula garantir sua eleição no próximo domingo. 

  9. O petista conta com 52% dos votos válidos, repetindo o mesmo patamar da semana passada.Além de desacreditar os institutos de pesquisa, Bolsonaro também sugeriu haver atuação parcial de ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    O presidente disse que “os juízes que tiraram o Lula da cadeia e o tornaram elegível são exatamente os mesmos que conduzem o processo eleitoral brasileiro e que tudo dificultam para que a Comissão de Transparência Eleitoral consiga participar para evitar a possibilidade de questionamentos ao tema das eleições”

  10. .O TSE nega a possibilidade de fraude nas urnas eletrônicas e já reiterou diversas vezes que elas são seguras e invioláveis. 

  11. Também promoveu testes de integridade do sistema eletrônico, além de ter criado a Comissão de Transparência Eleitoral para a qual as Forças Armadas foram convidadas, junto com representantes de outros órgãos, como o Congresso Nacional. 

  12. Bolsonaro disse que não teria problemas com o resultado em eleições que ele considere “limpas”, mas, perguntado como iria diagnosticar a forma como foram realizadas, saiu-se com uma resposta pouco explicativa.

Comments
* The email will not be published on the website.